Envio da EFD-Reinf no ERP Oracle EBS é uma dor de cabeça? Solução fiscal especialista já!

por | 14/05/2021 | FISCAL

O cumprimento das obrigatoriedades tributárias é sempre uma preocupação para qualquer gestor, afinal é crucial para o equilíbrio do negócio. Porém, para empresas grandes e que prestam centenas de serviços, o envio da EFD-Reinf, sem dúvida, é a maior das dores de cabeça.

Quando analisamos que o prazo para o envio das informações no novo leiaute da plataforma se aproxima, a aflição fica ainda maior. E em um ano de recuperação econômica para o mundo, o cumprimento de uma obrigatoriedade não pode ser a maior das preocupações da sua empresa.

Por isso, no artigo de hoje, falaremos sobre as dores de muitos gestores no envio da EFD-Reinf e mostraremos como é possível superá-las – independentemente se a sua empresa utiliza um ERP Oracle EBS ou qualquer outro software de padrão global.

Boa leitura!

Quais são as principais dores dos gestores no envio da EFD-Reinf?

Em sua rotina de trabalho, um gestor fiscal precisa lidar com assuntos relacionados à aquisição de serviços, retenção de impostos, análise de contrato com outras empresas e, é claro, cumprimento das obrigatoriedades fiscais. É justamente nesta última que se concentra as principais dores de cabeça.

O entrave começa na entrega das notas, sem uma solução de integração, a missão se torna hercúlea para que a centralização dos documentos aconteça até, no máximo, o 5a dia útil de cada mês.

Outra grande dor de cabeça diz respeito à localização fiscal. Ao contar com um ERP Oracle EBS ou outro software de padrão global, a maior parte das empresas ainda precisa investir em ajustes para adaptar suas ferramentas à legislação brasileira – gasto que precisa ser repetir sempre que ocorre alguma alteração nas plataformas do governo.

Por fim, temos a maior das dificuldades de muitos gestores: a validação de informações. A falta de conformidade total dos softwares adotados traz um turbilhão de emoções no envio da EFD-Reinf, com a apreensão da validação ou não dos dados repassadas. E, nesse contexto, os gestores se veem refém de uma situação bastante incômoda.

Mais alguns números que ajudam a entender o seu drama como gestor fiscal no envio da EFD-Reinf.

  • 81% das empresas não contam com políticas definidas para a integração de suas informações relacionadas ao EFD-Reinf;
  • 78% das empresas não centralizam dados referentes aos documentos fiscais de prestadores de serviços;
  • 54% dos dados solicitados pela EFD-Reinf não existem nos sistemas das empresas.

Como resolver essas dificuldades no envio da EFD-Reinf?

Como não é possível deixar esses problemas e esperar que eles se resolvam com o tempo, você deve encontrar uma saída antes do derradeiro prazo de entrega. Mas, não se preocupe, há como superar todas essas dificuldades.

A utilização de uma solução fiscal especializada para o cumprimento da EFD-Reinf, sem dúvida, simplifica e agiliza o trabalho de processamento das informações e o envio ao fisco, de forma rápida e integrada.

Além disso, uma solução fiscal própria é a dupla ou tripla segurança na validação dos dados enviados ao fisco, que passam por diversos níveis de checagem, evitando não-conformidades e multas.

Mas é claro que precisa ser uma plataforma 100% web desenvolvida em Java, capaz de automatizar e extrair os dados de diversos sistemas da empresa e se atualizar automaticamente sempre que houver alterações nas plataformas do governo.

Qual o impacto para o gestor fiscal?

Analisando as dores de um gestor fiscal em relação ao envio da EFD-Reinf, podemos dizer que o impacto com a adoção de uma solução especialista é transformador. Como vimos, um sistema próprio de entrega é capaz de resolver os 3 maiores obstáculos para qualquer gestor: conformidade fiscal, integração e validação.

Dessa forma, o que constantemente é visto como algo “aterrorizante” tende a se tornar apenas mais um dos vários processos dentro da área fiscal. Bom para o gestor e melhor ainda para a sua equipe, que deixa de receber uma alta pressão no envio da EFD-Reinf.

Qual o impacto para o gestor de TI?

O gestor de TI tem um papel tão importante quanto o de Fiscal nessa transformação, pois passa por ele a missão de encontrar uma plataforma moderna que atenda às complexas particularidades fiscais brasileiras.

Ainda que não seja um profundo conhecedor dos trâmites fiscais, o gestor de TI é especialista em soluções tecnológicas, por isso é capaz de apontar a solução que ofereça as melhores funcionalidades para suprir as necessidades dos outros setores da empresa.

Enfim, não deixe que as dificuldades em relação ao envio da EFD-Reinf se tornem fatores inerentes a sua empresa. Ao adotar uma solução com inteligência fiscal e capaz de realizar o cruzamento e a auditoria de toda as informações, a sua empresa garante total conformidade e confiabilidade dos arquivos eletrônicos que serão enviados ao FISCO. Em suma: assegure o equilíbrio que o seu negócio tanto precisa neste ano de retomada.

Gostou do artigo? Continue no nosso blog e confira agora a importância da inteligência fiscal para a sua empresa.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.