eSocial: fique por dentro da DCTFWeb na 2ª fase

por | 27/06/2019 | HCM

A partir da edição da Instrução Normativa nº 1.884, de 2019, a Receita Federal apresentou a segunda etapa de implantação da DCTFWeb (Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais Previdenciários e de Outras Entidades e Fundos), no programa eSocial, alterando o cronograma das entregas da declaração.

Como a implantação do eSocial exige uma série de informações importantes dos contribuintes, é necessário ter atenção redobrada, ainda mais agora com os prazos de entrega aproximando-se.

Por isso, para ajudar você a se preparar para as novidades, neste artigo, falaremos sobre os próximos passos e o impacto da implantação do eSocial nas empresas. Acompanhe a seguir.

O que é a DCTFWeb?

A chamada Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais Previdenciários e de Outras Entidades e Fundos (DCTFWeb) é o instrumento que substitui a Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social (GFIP).

Ela é exigida, por enquanto, para grandes empresas ou para aquelas que aderiram ao programa eSocial. Para essas companhias, a DCTFWeb declara os débitos previdenciários e outras contribuições destinadas a terceiros.

O preenchimento da declaração pode ser feito na página da Receita Federal na internet – após clicar em “Portal e-CAC”. Ao fazer o login no sistema, basta clicar em “Declarações e Demonstrativos” e, na sequência, em “Acessar o sistema DCTFWEB”.

Como foi a primeira fase de implantação da DCTFWeb?

A DCTFWeb foi regulamentada pela IN RFB nº 1.787, de 2018, como uma obrigação acessória tributária para que as empresas apresentassem os pagamentos de contribuições previdenciárias. A intenção é de que, no futuro, outros débitos sejam incluídos e as guias sejam geradas pelo sistema.

Inicialmente, eram obrigadas a enviar a declaração todas as empresas que tivessem faturamento acima de R$ 78 milhões no ano-calendário de 2016 ou que aderiram facultativamente ao programa eSocial.

As entregas mensais da declaração começaram a partir de agosto de 2018, em todo dia 15 do mês subsequente, a fim de se prestar as informações relativas ao mês anterior. Vale ressaltar que ela deve ser obrigatoriamente assinada digitalmente.

Ainda, ao iniciar a apresentação da DCTFWeb, as empresas não devem mais efetuar recolhimento em GPS. O pagamento das contribuições deve ser efetuado, exclusivamente, por meio de DARF, emitido por meio da própria plataforma.

Quais são as novidades para a segunda fase?

É importante saber que, primeiramente, que a Receita Federal alterou os prazos. Agora, as empresas com faturamento acima de R$ 4,8 milhões estarão obrigadas à entrega da DCTFWeb, para os fatos geradores que ocorram a partir de 1º de abril de 2019.

A transmissão da DCTFWeb para os contribuintes dessa nova etapa deve ser feita até o dia 15 de cada mês subsequente à ocorrência dos fatos geradores. No caso de 04/2019, a data limite foi 15 de maio de 2019.

Os demais contribuintes estarão obrigados apenas para os fatos geradores que ocorrerem a partir de 1º de outubro de 2019, junto com os demais integrantes do 3º grupo do eSocial.

Para os contribuintes da primeira etapa, obrigados desde agosto de 2018, a transmissão permanece regular.

Já para órgãos públicos das administrações federal, distrital, estaduais e municipais, bem como suas autarquias e fundações, além de organizações internacionais e outras instituições extraterritoriais, o prazo de entrega ainda não está definido.

Como tudo isso impacta a área de TI das empresas?

Por se tratar de uma declaração eletrônica, é fundamental que as empresas utilizem softwares que forneçam confiabilidade e segurança aos dados.

Qualquer dado ou informação incorreta implica a geração da Guia e Recolhimento de Impostos de forma equivocada. Por isso, se torna um desafio atribuído sobretudo aos contadores e às equipes de TI das empresas manterem a confiabilidade desse tipo de informações contábeis.

Ressalta-se, ainda, que manter em dia os registros de relatórios financeiros e atividades contábeis é fundamental para atender as prescrições da legislação e evitar o pagamento a maior de tributos.

Dessa forma, fazer a mudança do papel para o digital pode ser um grande projeto, mas que oferece uma infinidade de benefícios para qualquer negócio. Assim, é possível aumentar a produtividade, ter acesso a dados financeiros precisos e aumentar a segurança em torno de informações financeiras confidenciais enviadas ao programa eSocial por meio da DCTFWeb.

Agora, que você já sabe TUDO sobre a DCTFWeb, que tal saber sobre a TUDO também sobre o SESMT (SST)? Clique aqui e baixe nosso ebook e veja como essa nova fase do eSocial está impactando as empresas.

1 Comentário

  1. oprolevorter

    Great work! This is the type of info that should be shared around the web. Shame on Google for not positioning this post higher! Come on over and visit my website . Thanks =)

    http://www.oprolevorter.com/

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *