NFCe modelo 65 empresas com ERPs Globais: entenda os desafios!

por | 11/02/2022 | FISCAL

A NFCe modelo 65 é o documento emitido e armazenado eletronicamente por um contribuinte reconhecido pelo SEFAZ de cada estado e existe apenas em formato digital. A validade jurídica desse documento é assegurada pela assinatura digital do emissor e uma autorização de uso concedida.

O principal objetivo do governo ao criá-la É possibilitar que operações comerciais de vendas para consumidores finais, pessoas físicas ou jurídicas sejam registradas em operações internas sem gerar créditos de ICMS aos compradores.

Os documentos NFCe modelo 65 são gerados da mesma forma que a NFe: ambos os documentos requerem uma chave de acesso para consulta posterior no site da Sefaz do Estado. A diferença é que a NFe usa o Modelo 55, enquanto a NFCe é emitida no Modelo 65.

Mas, qual a relevância desse tipo de Nota Fiscal para empresas que utilizam ERPs de classe mundial para cumprir suas obrigações acessórias? Continue lendo e entenda.

Boa leitura!

O que é NFC-e modelo 65?

Como dito, a NFCe modelo 65 é um documento fiscal eletrônico que aparece na venda ao consumidor final (pessoa física ou empresa não tributável). Ela foi criada para substituir os antigos cupons fiscais e ECFs (Emissores de Cupons Fiscais) – considerando que era necessária uma máquina autorizada pela Receita Federal (impressora fiscal) para imprimi-los.

O processo de emissão da NFCe é muito semelhante ao da NFE: os cupons são emitidos pelo sistema da empresa para a SEFAZ do estado. A transferência e assinatura de arquivos é realizada por meio de certificados digitais.

Por fim, após a autorização, o documento poderá ser acessado posteriormente através do link no site estadual da SEFAZ.

Quais as vantagens da NFC-e modelo 95?

A NFCe modelo 95 é o tipo de processo que traz vantagens para todos os participantes dentro da operação. Por exemplo, para a sua empresa, as vantagens são:

  • Integrado a programas de Cidadania Fiscal (eliminação do envio posterior à Secretaria da Fazenda de Arquivos de Impressora Fiscal, como REDF);
  • Não existe leitura Z, permitindo fechamento e abertura de caixa a qualquer momento;
  • Não é mais exigido qualquer tipo de homologação de hardware ou software;
  • Não necessita comprar o ECF (Emissor de Cupom Fiscal Eletrônico);
  • Integração de plataformas de vendas físicas e virtuais.
  • Não exigência da figura do Interventor Técnico;
  • Redução significativa dos gastos com papel;
  • Custo operacional diminui;
  • Desburocratização.

Até o mesmo consumidor final é impactado com benefícios interessantes em razão da NFCe modelo 95. Entre eles podemos citar:

  • Possibilidade de consulta em tempo real ou online de suas NFC-es no portal da SEFAZ;
  • Possibilidade de receber DANFE NFC-e ecológico (resumido) ou por e-mail ou SMS;
  • Segurança quanto à validade e autenticidade da transação comercial.

Qual a sua relevância para empresas que usam ERPs de classe mundial?

A relevância da NFCe modelo 65 para usuários de ERPs de classe mundial também é bastante interessante, tendo em vista que ela traz facilidades que não eram possíveis antes. Por exemplo:

  • Flexibilidade para inovação, como PDVs mobile, já que não é mais necessário um PDV fixo anexo à uma impressora lacrada;
  • Fim da necessidade de homologação do software com o PAF-ECF;
  • Redução de suporte técnico aos emitentes.

Porém, mesmo sendo vantajosa, a NFCe modelo 65 pode trazer desafios para usuários de ERPs de classe mundial pela dificuldade de conformidade. Por ser um processo específico da nossa legislação, é possível que alguns modelos de software não consigam emiti-la corretamente.

Para isso, é importante contar com uma solução fiscal especialista, que traz todas as funcionalidades para impressão, controle e repasse da NFCe para as plataformas do governo.

Enfim, podemos dizer que a NFCe modelo 65 chegou para revolucionar os processos fiscais. Além de trazer mais facilidade ao processo, ela permite informação em tempo real aos documentos fiscais, melhoria do controle fiscal e possibilidade de monitoramento à distância das operações. Mas, como dito, é preciso assegurar que o seu ERP de padrão global esteja apto ao novo processo.

Continue acompanhando as novidades do nosso blog e leia também o nosso artigo com o tema: EFD-Reinf 2023 para ERPs de classe mundial: conheça as novidades!

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.