Bloco K: entenda quais são as novidades para este ano

por | 15/10/2021 | FISCAL

Mesmo já tendo sido anunciado há mais de 10 anos, o Bloco K continua trazendo certa dificuldade para muitos gestores fiscais. Seja pela complexidade de adaptação para fornecer informações ao Fisco ou pela inconformidade em relação aos prazos, o fato é que essa parte do SPED Fiscal continua impactando muitas empresas.

Além disso, com tudo que foi firmada na Lei de Liberdade Econômica (Lei nº 13.874 / 19), a tendência é que os gestores tenham ainda mais dificuldade para orientar suas equipes em relação ao cumprimento da obrigatoriedade.

Mas, será que há alguma mudança significativa no Bloco K em 2021? E como a sua empresa pode driblar vários desses desafios e trazer uma conformidade fiscal? Para entender mais sobre todos esses pontos, confira o nosso artigo sobre o Bloco K.

O que é o Bloco K?

O Livro Eletrônico de Controle de Produção e Estoque (Bloco K) pode ser mais facilmente conceituado como a versão digital desse tipo de registro. No passado, o documento era físico e utilizado para repassar informações do tipo:

  • quantidade de mercadorias no estoque;
  • entradas e saídas de mercadorias;
  • produção.

Agora, por meio do Bloco K, essas mesmas informações são enviadas em formato digital todos os meses, com um monitoramento por parte do governo muito mais intenso. Para a sua empresa, isso significa que é preciso ter um controle mais preciso sobre o próprio estoque a fim de evitar inconsistências nas informações repassadas – diminuído o risco de punições sob o argumento de sonegação fiscal.

Podemos dizer que o Bloco K trouxe um novo cenário para o acompanhamento fiscal, no qual aquelas empresas disciplinadas e organizadas se sobressaem àquelas com dificuldade de alinhamento com as exigências fiscais.

O que é SPED Fiscal?

Também conhecido como EFD (Escrituração Fiscal Digital), o SPED Fiscal é o nome do processo de escrituração digital da Receita Federal. Com ele, tanto o governo federal quanto os governos atuais recebem informações das empresas referentes à apuração do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Na prática, o SPED Fiscal é uma estratégia para facilitar a entrega dos dados obrigatórios por parte das empresas – atendendo ao fisco e, em simultâneo, eliminando a necessidade de documentos em papel.  A ideia foi justamente diminuir a burocracia em um processo que não pode ser postergado pelo contribuinte.

O princípio de funcionamento da escrituração digital é o seguinte: o contribuinte envia mensalmente um arquivo digital com toda a escrituração de documentos fiscais e demais informações de interesse da Receita Federal, bem como os registros de apuração de impostos relativos às operações e aos juros.

Quais são as novidades em 2021 para o Bloco K?

Como dito, a Lei de Liberdade Econômica prometeu grandes impacto no Bloco K. Porém, a verdade é que as reformas realizadas pelo atual governo pouco surtiram efeito. Há sim algumas promessas, mas o próprio futuro do Bloco K ainda está incerto.

Em relações às alterações trazidas na Lei nº 13.874 / 2019, foram introduzidas medidas para proteger a livre iniciativa e o livre desenvolvimento das atividades econômicas, com a promessa de substituição e/ou simplificação do SPED Fiscal e do Bloco K no processo.

Tudo pode ser entendido melhor a partir do Artigo 16 da Lei:

Art. 16. O Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (eSocial) será substituído, em nível federal, por sistema simplificado de escrituração digital de obrigações previdenciárias, trabalhistas e fiscais.

Parágrafo único. Aplica-se o disposto no caput deste artigo às obrigações acessórias à versão digital gerenciadas pela Receita Federal do Brasil do Livro de Controle de Produção e Estoque da Secretaria Especial da Receita Federal do Brasil (Bloco K)”.

Como isso afeta os departamentos Fiscal e de TI da sua empresa?

Na prática, a promessa de mudança no Bloco K ainda não foi concretizada. Sendo assim, os setores Fiscal e de TI não precisam realizar grandes alterações nesse sentido. Mas, isso não significa não haver nenhum impacto, afinal, a incerteza também afeta o rendimento dos departamentos.

Nesse sentido, o melhor caminho é adotar de uma solução que garanta a conformidade com o SPED Fiscal em qualquer cenário compatível com os principais ERPs de classe mumdial, como o ERP Infor, por exemplo. Não importa qual alteração virá no futuro para o Bloco K, a solução especialista é capaz de se atualizar e se adaptar a prazos e exigências.

Enfim, não deixe que o seu TI e o setor Fiscal sejam pegos de surpresas quando as mudanças prometidas na Lei de Liberdade Econômica se tornem reais. Invista agora mesmo em uma solução com inteligência fiscal nativa e traga tranquilidade para suas equipes.

Gostou do artigo? Quer contar com uma solução compatível com todas as obrigatoriedades do SPED Fiscal? Então, marque uma reunião com um dos nossos especialista para a melhor solução fiscal do mercado.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.